Desmotivação do aluno: desafios do T&D e soluções

Artigo

Desmotivação do aluno: desafios do T&D e soluções

Artigo
Desmotivação do aluno: desafios do T&D e soluções

A necessidade de realizar treinamentos é cada vez mais clara e seus benefícios são ainda mais evidentes. Seja por meio do aprendizado digital ou em sala de aula, poder adquirir e melhorar as competências é visto agora como uma grande oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional, que ajuda os alunos a alcançarem sua realização na empresa. Contudo, alguns fatores podem gerar a desmotivação do aluno e impedir o sucesso do T&D. É o que veremos neste artigo. Continue acompanhando a leitura!

É importante lembrar que este artigo é o 2º componente do estudo qualitativo produzido para a CrossKnowledge entre uma amostra representativa de seus clientes em 4 mercados (de diferentes culturas e níveis de maturidade) em relação às práticas de treinamento a distância. Você pode acessar o 1º artigo desse estudo aqui!

Os benefícios do aprendizado na motivação dos alunos

Ao realizar ações motivadoras por meio dos treinamentos, os colaboradores podem reagir da seguinte maneira:

  • Aumentando o desempenho e permanecendo competitivo, o que aumenta o valor de um profissional no mercado de trabalho;
  • Avançando na carreira e alcançando melhores oportunidades;
  • Alcançando a realização pessoal e alimentando a curiosidade e o desejo por aprender;
  • Desenvolvendo agilidade e antecipando mudanças, possivelmente para se requalificar ou se aprimorar.

É também um meio vital de adaptação aos campos profissionais que estão cada vez mais exigentes, especialmente quando confrontados com múltiplas pressões:

  • Tendo um bom desempenho em uma função, demonstrando a capacidade de contribuir para o projeto da equipe sem negligenciar o desenvolvimento pessoal;
  • Demonstrando agilidade e adaptabilidade em um mundo em constante movimento e mantendo a continuidade e estabilidade para desenvolver uma visão.

“Sua vida (trabalho) não fica melhor por acaso, fica melhor com a mudança”

Aprender ajuda a fortalecer os laços com a empresa e a criar um relacionamento frutífero e recíproco. No geral, os benefícios e motivações para o aprendizado são inegáveis.

O que é fadiga de aprendizagem?

Ao examinar os caminhos em direção aos objetivos e as experiências relatadas pelos alunos, é possível enxergar uma realidade muito complexa. Por um lado, a aquisição constante de novas competências pode transformar os indivíduos em versões melhores de si mesmos. Mas, quando se deparam com muitos requisitos do curso, os alunos falam sobre atingir uma espécie de ponto de saturação, um fenômeno às vezes chamado de “fadiga de aprendizagem”. Para muitas pessoas, é a estrutura e a organização da aprendizagem corporativa interna que pode estar sendo contraproducente ou desmotivadora.

O que causa a desmotivação do aluno?

Há várias razões possíveis para isto:

  • O medo de perder tempo e energia em assuntos que não são essenciais para a função e para as responsabilidades do aluno;
  • Ponto de saturação em relação aos cursos de treinamento obrigatórios que são muito gerais ou muito tediosos de seguir para alguns alunos (por exemplo, atualização de normas);
  • Nenhuma possibilidade de aplicação imediata para ajudar a reforçar o que foi aprendido e garantir a verdadeira aquisição de competências;
  • Sentimentos de seguir em frente para manter uma imagem profissional ou para impressionar os gestores sem qualquer motivação de aprendizagem verdadeira.

É crucial considerar a possibilidade de fadiga do aluno ao projetar cursos para aprendizagem corporativa e permitir uma certa quantidade de aprendizagem autônoma e escolha pessoal no desenvolvimento de competências. Os alunos precisam sentir que são mais do que participantes passivos.

Como obter resultados de aprendizagem satisfatórios?

Simplesmente fornecer um acesso à aprendizagem, como já sabemos, nunca pode fornecer verdadeiros resultados de aprendizagem ou resultados de longo prazo. As organizações precisam adotar uma estratégia genuína em relação ao conteúdo oferecido. Essa estratégia precisa levar em consideração a frequência do treinamento e os níveis, as necessidades e aspirações específicas de cada pessoa. Isso significa que as motivações subjacentes do aluno devem ser totalmente compreendidas e apreciadas, e o treinamento deve ser projetado com cada aluno individual em mente para ser verdadeiramente eficaz.

Agora que já sabe sobre o que tem causado a desmotivação do aluno e as soluções para evitar isso, você pode continuar a leitura e acessar o nosso primeiro artigo deste estudo: “Treinamento presencial e digital: qual os alunos preferem?”

*Estudo realizado pela SpringVoice, uma empresa de consultoria de pesquisa e estratégia de marketing especializada em questões de posicionamento, compreensão de clientes e objetivos.

Saiba mais