A educação digital no Itaú Social | Série Ágeis e Resilientes

Dicas de T&D

A educação digital no Itaú Social | Série Ágeis e Resilientes

Artigo
A educação digital no Itaú Social | Série Ágeis e Resilientes

A área de T&D precisou responder rapidamente às mudanças trazidas pelo isolamento social, e será bastante impactada quando tudo voltar ao normal. Por isso, a CrossKnowledge lançou a série Ágeis e Resilientes, que conta histórias reais e inspiradoras de empresas que se transformaram para apoiar os seus colaboradores e a sociedade.

Na primeira edição, conversamos com a Claudia Sintoni, Coordenadora de Formação do Itaú Social. Há 25 anos, essa fundação empresarial trabalha para a melhoria da educação pública no Brasil. Atuando como polo de desenvolvimento educacional, tem como base dois pilares: formação de profissionais de educação e fortalecimento da sociedade.

Claudia nos conta como a instituição reorganizou seu plano de treinamento e formação para continuar desenvolvendo milhares de profissionais da educação durante o isolamento. Confira o depoimento dela a seguir:

 

Confira também a nossa entrevista com a Denise Sade, Coordenadora de Desenvolvimento Organizacional do Sistema Fiep.

Um novo Itaú Social diante de um novo cenário

Com essa nova realidade, que chegou de forma inesperada, o Itaú Social precisou repensar a colaboração e o trabalho das equipes para implantar um modelo eficaz de home office.

Superada essa etapa inicial, vinha o maior desafio: realocar os recursos disponíveis de forma estratégica. Era crítico e essencial garantir que os profissionais da educação continuassem sendo beneficiados com as iniciativas da fundação.

A educação digital remota se tornou uma peça fundamental do Itaú Social

Em setembro de 2019, o Itaú Social lançou o Polo, um ambiente virtual de aprendizagem criado em parceria com a CrossKnowledge. Quando o isolamento obrigatório começou, eles perceberam que tinham nas mãos uma ferramenta muito poderosa para continuar atingindo seu público-alvo. Sendo assim, eles reorganizaram o Polo para apoiar a comunidade de duas maneiras:

  • Repensando e transformando os encontros presenciais em cursos envolventes de e-learning;
  • Desenvolvendo novas ações para apoiar os professores, com uma curadoria de dicas, links e ferramentas que pudessem ajudá-los neste momento.

Com isso, o Itaú Social viu o número de usuários do Polo dobrar em dois meses: de 22 mil para 45 mil pessoas. “A gente sabe que professores, educadores e gestores estão realmente com vontade de aprender. É incrível ver esse movimento das pessoas!”

Transformar treinamentos presenciais em um formato digital requer adaptações

O Itaú Social descobriu um valor muito importante nas tecnologias de aprendizagem. Eles viram que era possível ganhar agilidade e alcançar uma audiência mais ampla sem abrir mão de trocas valiosas que ocorriam em sala de aula.

No entanto, Claudia reforça uma dica para empresas que também estão começando a explorar a educação digital: não adianta transpor diretamente a lógica dos encontros presenciais para os treinamentos digitais. Um evento de 8 horas não pode ser transformado em uma videoconferência de 8 horas – é importante lançar mão de recursos e formatos variados para tornar o treinamento interativo e impactante.


Também está passando por uma jornada de digitalização da sua oferta de treinamentos?

Saiba mais

Fique por dentro

Receba as notícias do nosso blog direto no seu email!