Gamificação na empresa: como criar um sistema de sucesso?

Competências Essenciais

Gamificação na empresa: como criar um sistema de sucesso?

e-Book
Gamificação na empresa: como criar um sistema de sucesso?

Todos nós já experimentamos a diversão em algum momento de nossas vidas. Podemos até medir o quanto nos divertimos e quando foi que esses momentos aconteceram. Mas… você consegue descrever isso? Você consegue dizer do que é feito a diversão? Você sabe como criá-la? O uso da gamificação na empresa tem sido uma ótima ferramenta estratégica para trazer inovação e melhorar o engajamento dos colaboradores. 

Sentir e identificar a diversão é muito fácil, porém criá-la é algo muito difícil. Por isso, separamos algumas dicas fundamentais de como tornar a gamificação um processo realmente divertido e que gere motivação nas organizações. Confira!

Como criar diversão na gamificação na empresa?

Na gamificação, a diversão é a chave para criar motivação, vício e viralidade. Isso é o que irá tornar o seu jogo bem-sucedido e divertido para os jogadores.

Acontece que muitas vezes, os designers de jogos perdem o foco desse objetivo e tendem a se concentrar mais nos aspectos tangíveis do sistema (pontos, emblemas, quadros de classificação, etc.). No entanto, pensar demais na estrutura do design do jogo e nas ações realizadas pelos jogadores irá te conduzir ao erro. 

Jogos não se tratam apenas sobre as possíveis ações, regras ou o quão bonito é o seu design. Eles precisam ser divertidos! Você é levado a um jogo porque ele é divertido e é exatamente isso que você deseja que um sistema gamificado seja para os seus colaboradores.

Os 4 tipos de diversão na gamificação

Como já dito anteriormente, conseguir descrever e criar diversão não é uma tarefa fácil. Contudo, Nicole Lazzaro, pesquisadora, designer de jogos, fundadora e presidente da XEODesign Inc aceitou esse desafio. Ao pesquisar, observar e fazer o registro de jogadores e não jogadores para avaliar as suas emoções durante um jogo, ela apontou que a experiência do jogador é formada pelas emoções que são suscitadas durante o jogo de acordo com as suas diferentes escolhas.

Ela acredita que os jogos mais vendidos usam as emoções provenientes de quatro tipos de diversão para chamar a atenção dos jogadores e motivá-los:

1. People Fun (Amizades)

Diversão por meio da competição e cooperação. “O people fun é o pretexto para curtir com os amigos. As pessoas são viciantes e com o tempo, essa mecânica cria laços sociais e proporciona trabalhos em equipe. Todo mundo quer passar mais tempo com seus amigos.”

2. Easy Fun (Inovação)

Curiosidade gerada pela exploração, interpretação de personagens e criatividade. “O Easy Fun inspira a exploração e a personificação por meio de distrações, fantasias ou simplesmente pelos encantos da jogabilidade que prendem a atenção do jogador. O Easy Fun é considerado o plástico bolha do game design.”

3. Hard Fun (Desafios)

Fiero, a vitória épica de alcançar um objetivo difícil. “O Hard Fun oferece a oportunidade de gerar um desafio, domínio e sentimentos de realização. O Hard Fun concentra a atenção do jogador em um objetivo final, que contém obstáculos e necessita de estratégia para ser alcançado.”

4. Serious Fun (Sentido)

Animação por transformar o jogador e o seu mundo. “O Serious Fun muda propositalmente a forma como os jogadores pensam, sentem, se comportam ou fazem a diferença em seu mundo real. A emoção dos jogos provoca animação em tarefas que normalmente são consideradas chatas. Serious Fun é jogar como se fosse uma terapia”.

Outro framework interessante para conceituar jogos foi desenvolvido por Marc LeBlanc. Ele surgiu com 8 tipos diferentes de diversão: sensação, fantasia, narrativa, desafio, companheirismo, descoberta, expressão e submissão.

Seja pela abordagem de Nicole Lazzaro ou de Marc LeBlanc, podemos compreender as diferentes razões pelas quais as pessoas jogam e do que se trata a diversão. Assim, o designer de jogos será capaz de proporcionar mais emoções para engajar melhor os jogadores.

Como ter um sistema gamificado de sucesso?

Como cada emoção desbloqueia um conjunto diferente de experiências de jogo, um jogo não deve focar apenas em um tipo de diversão, mas sim dar ao jogador a capacidade de alternar entre elas por meio de uma única jogada.

É claro que diversão é algo que você sente. Quando tratamos de sentimentos, a descrição e a categorização tendem a ser mais subjetivas. Também é algo muito pessoal, o que acaba dependendo mais do que você deseja que seus jogadores experimentem. 

No entanto, para ter certeza de que seu sistema gamificado será um sucesso, recomendamos que você escolha e siga uma abordagem desenvolvida por especialistas experientes e reconhecidos no mercado. Por exemplo, as plataformas LMS como a CrossKnowledge Learning Suite, já possui funcionalidades nativas para configurar um sistema de gamificação na empresa em processos de treinamento. Quer conhecer mais sobre a nossa plataforma? Clique aqui!

Agora é sua vez! Pense na última vez que você se divertiu, consegue analisar o porquê foi divertido?

Saiba mais

Fique por dentro

Receba as notícias do nosso blog direto no seu email!