Inteligência conectiva: como ter sucesso na era hiperconectada

Dicas de T&D

Inteligência conectiva: como ter sucesso na era hiperconectada

Artigo
Inteligência conectiva: como ter sucesso na era hiperconectada

Os modelos antigos de negócios estão abandonando o potencial do novo mundo. As pessoas continuam trabalhando em suas próprias “caixinhas”, enquanto as empresas continuam apoiando culturas de trabalho que seguem paradigmas muito ultrapassados. O conceito de inteligência conectiva surge para as corporações aceitarem e abraçarem totalmente o potencial desta era hiperconectada.

Considere o seguinte: no “tempinho” que leva para ler as 600 e poucas palavras deste artigo, os usuários do Twitter enviaram cerca de 350.000 tweets, os usuários do Instagram curtiram 1,73 milhão de postagens e os usuários do Facebook enviaram 3,25 milhões de mensagens. 

Sim, temos um problema: as organizações não podem mais funcionar do mesmo jeito que anos atrás. Continue acompanhando a leitura e veja como a inteligência conectiva pode levar sua empresa ao sucesso.

O que é inteligência conectiva?

Por trás de cada um desses eventos digitais, há uma única pessoa, empresa ou organização que está alcançando públicos com uma imediatez e uma intimidade nunca vistas anteriormente. Isso se chama hiperconectividade. Ela permite que se canalize esse mesmo potencial para as conexões diárias do local de trabalho. 

Formas radicalmente novas de conexão se tornaram possíveis e as empresas precisam se adaptar a este modelo de negócio. Inteligência conectiva, como define Erica Dhawan, é o conceito que busca justamente a habilidade de combinar os mais variados recursos – como pessoas, relações e conteúdos – em uma conexão de escala global que cria valor e sentido nunca vistos antes.

Como tornar a hiperconectividade sua aliada?

Existem 20 pessoas em sua equipe de marketing? Ao empoderá-las com as ferramentas e estratégias necessárias para colaborar além dos limites antigos, você aumentará exponencialmente a expertise que entra em qualquer solução. 

Você permitirá que os indivíduos transformem o que é possível ao se abrirem para novas pessoas, ideias e recursos. Tudo isso sem aumentar custos com pessoal. É algo possível, e os benefícios são imensos.

No entanto, nada ocorrerá sem mudanças, e, sem mudanças, os negócios podem estagnar. O que é necessário é criar processos que incentivem a colaboração e ajudem os funcionários a saírem do isolamento para acessar novas ideias e conhecimentos. Os processos vão ajudá-los a trabalhar melhor quando estiverem juntos.

Como atingir resultados audaciosos?

As possibilidades de conexão hoje são ilimitadas. Podemos conversar neste exato momento com pessoas que não estão aqui e desenvolver relacionamentos que não eram possíveis tempos atrás. Veja algumas características essenciais para atingir bons resultados:

Retenção de talentos

Reter e engajar os melhores talentos tornou-se fundamental para as organizações. Reconhecimento e recompensas financeiras não são necessariamente as ferramentas mais eficientes. 

Força de trabalho mais inteligente

A forma como as organizações podem utilizar as diferentes redes de contatos, tanto interna quanto externamente, pode ajudá-las a serem mais inteligentes e atingir resultados muito mais significativos. 

Vantagem colaborativa

A colaboração dos funcionários é uma vantagem, pois pode diferenciar uma empresa de seus concorrentes. É por isto que muitas empresas levam o nível de colaboração dos funcionários em consideração ao realizarem suas avaliações de desempenho.

Agilidade

O mundo dos negócios está cada vez mais imprevisível, o que também torna cada vez mais difícil para as empresas colaborarem. Apesar disto, em um ambiente de constante mudança, é essencial desenvolver agilidade para colaborar de forma eficaz em qualquer situação. 

Qualidade

Muitas pessoas e empresas preocupam-se com o número de contatos que possuem. Ainda assim, existe um fator mais importante que a quantidade: a qualidade. Isto significa que se não há qualidade, talvez as suas conexões sejam inúteis.

Soluções flexíveis

As melhores conquistas muitas vezes surgem quando dois problemas são ligados e cria-se uma solução para ambos. É essencial saber identificar esses problemas e enxergar as oportunidades para fazer essa junção dar certo. 

Implementando a cultura da inteligência conectiva

É uma abordagem que está por trás de um ambicioso projeto sendo realizado pela Case Western Reserve University, que está construindo atualmente instalações de 45 mil metros quadrados no campus da Cleveland Clinic. Quando a construção estiver pronta em 2019, abrigará as faculdades de medicina, enfermagem e odontologia da Case Western. A meta de instruir esses grupos sob um mesmo (e imenso) teto é melhorar as capacidades de colaboração. 

Reconhecendo que as equipes são essenciais para o atendimento à saúde no século XXI, a Case Western já conta com sessões regulares de brainstorming em que os estudantes de cada faculdade debatem um diagnóstico e um plano de tratamento para pacientes hipotéticos. 

“A raiz de muitos de nossos erros estava ligada ao fato de que nossos profissionais não estavam trabalhando juntos de forma eficaz na atenção dos pacientes”, declarou a vice-diretora de educação da Case Western, a Dra. Patricia Thomas.

3 passos para projetar uma cultura de inteligência conectiva

Afinal, como projetar esta cultura? Minha proposta é uma solução de três etapas. Confira abaixo:

1. Olhe além do círculo comum

Ao enfrentar um problema, pense em quem mais se importa. Olhe além do seu círculo normal de pessoas. A Case Western reconheceu que cada uma das profissões da área da saúde estava investindo seriamente no bem-estar do paciente, mas seu conhecimento e experiência precisavam ser consolidados. 

“O atendimento à saúde não é mais um esporte de gladiadores, em que se tem um profissional da saúde, mano a mano, um a um, batalhando com a doença”, disse ao NPR o Dr. James Young, cardiologista que dirige a Faculdade de Medicina da Cleveland Clinic.

2. Pense nas iniciativas

Use a ajuda desse grupo. Pense em como delinear iniciativas para inspirar essa comunidade. Assim como os debates dos estudantes sobre os planos de tratamento dos pacientes, reunir grupos diferentes com uma meta em comum ajudará que todos se acostumem com a ideia de colaboração. E isso mostrará quanto se pode aprender com o que os outros sabem.

3. Idealize como manter a comunidade

Idealize uma forma de manter essa comunidade. Para a Case Western, a forma encontrada foi uma instalação de US$ 500 milhões. Você provavelmente poderá fazer o mesmo por menos.

Agora você já sabe que é possível ampliar o potencial da sua organização e alcançar um desempenho de destaque ao desenvolver a inteligência conectiva. É a forma mais eficiente e poderosa para atingir grandes objetivos.

Gostou deste artigo? Que tal agora ler um pouco sobre como se adaptar às mudanças de forma bem sucedida? Clique aqui!

Saiba mais

Fique por dentro

Receba as notícias do nosso blog direto no seu email!