O que é Onboarding? Como o T&D pode ajudar a implementar?

Artigo

O que é Onboarding? Como o T&D pode ajudar a implementar?

Artigo
O que é Onboarding? Como o T&D pode ajudar a implementar?

Para entender o que é onboarding, é necessário fazer uma reflexão: Você consegue se lembrar do seu primeiro dia em uma nova empresa? 

Há uma boa chance de que você tenha lido uma longa lista de políticas de RH e de requisitos de TI, ou outras atividades entediantes. De acordo com os novos contratados, os programas de onboarding (a integração dos novos funcionários à organização) muitas vezes podem ser entediantes e, no pior dos casos, inexistentes. 

O impacto crucial da etapa de integração nem sempre é levado a sério. Embora o treinamento de compliance seja importante, é apenas uma parte minúscula do que contribui para um programa bem-sucedido de onboarding.

O que é onboarding?

A palavra Onboarding, na língua inglesa, pode ser traduzida como “embarcar”. Ele representa uma série de processos pelos quais os novos colaboradores passam após a admissão, a fim de promover a socialização do novo funcionário com os processos, procedimentos e a cultura organizacional.

De acordo com Aberdeen, há quatro peças-chave que são necessárias para se alcançar um onboarding envolvente e com efeitos duradouros para o recém-chegado: 

  1. Compliance;
  2. Clareza (esclarecimento);
  3. Cultura;
  4. Conexão. 

Ao se concentrarem demais em apenas um desses aspectos, as organizações estão perdendo uma oportunidade única de causar uma impressão duradoura nos novos contratados.

Qual o objetivo do onboarding?

O objetivo do onboarding é fazer os novos colaboradores se sentirem bem-vindos, buscando estabelecer relações de trabalho durante os primeiros contatos do indivíduo com a organização. Ele leva o novo colaborador a se sentir incluído,  gerando uma maior confiança em relação a equipe, conectando os membros e estimulando a motivação.

Qual a importância da integração de novos funcionários?

Ironicamente, poderia parecer que os líderes corporativos estão bem conscientes da importância do onboarding: 79 por cento deles declara que é uma prioridade urgente e importante (Deloitte HumanCapital Trends, 2014). Porém, há uma desconexão entre essa convicção amplamente compartilhada e a realidade dos programas de onboarding, já que apenas 32% das empresas têm, atualmente, um programa formal (Relatório de Pesquisa de Abeerden, 2014). 

Impactos na Retenção de talentos

Muitas vezes, também falta qualidade, posto que nem gerentes nem funcionários estão satisfeitos com a qualidade e a eficácia dos planos de integração em suas organizações.

Há muita coisa em jogo: 70% dos novos contratados decidem ficar ou sair de uma organização nos primeiros seis meses (HIC 2012). Considerando os elevados custos de se perder um funcionário em seu primeiro ano (de um a três salários), é do interesse de toda organização investir em programas de onboarding que funcionem.

Na verdade, os efeitos positivos do onboarding vão muito além das primeiras semanas de integração de um novo funcionário: o impacto é de longo prazo. Um programa bem projetado pode aumentar em 69% as chances de reter um funcionário por três anos, pelo menos (Grupo Aberdeen, 2013).

Como funciona o Programa de Integração?

O programa de integração requer uma série de preparações. Sendo necessário um planejamento, mesmo antes do início das atividades do colaborador. Para isso, é necessário:  

Programar o primeiro dia

  • Apresentando a equipe a seu novo funcionário; 
  • Reunindo a equipe para tomar café;
  • Mostrando o local de trabalho.

Organizar os treinamentos

Acompanhar os próximos passos

  • Preparando check-ins com frequência e agendando conversas regulares;
  • Reservando um tempo para observá-los e fazer perguntas;
  • Não ignorando o reconhecimento.

Ter um programa de integração em perfeito funcionamento ajuda a aumentar a curva de aprendizagem mais rapidamente, melhorando a produtividade e retenção de funcionários.

Qual é o papel do T&D na experiência de onboarding?

Os departamentos de Treinamento e Desenvolvimento precisam aproveitar esta oportunidade de envolver e reter os funcionários. É claro que onboarding não é o mesmo que treinamento; porém, o treinamento é uma parte essencial do onboarding e pode determinar seu sucesso.

Customização

Para que um recém-chegado se saia bem em seu trabalho, ele precisa de clareza, confiança e capacidades adequadas. Portanto, o treinamento para esses programas deve misturar cursos sobre a organização como um todo e também sobre expectativas específicas do trabalho. A customização é um elemento-chave para garantir que os novos funcionários se sintam pessoalmente bem-vindos à organização.

Redes interpessoais

A criação de uma rede entre os funcionários dentro da organização também é uma meta essencial para qualquer programa de onboarding; encontrar as pessoas certas e estabelecer relações é importante para o bem-estar do funcionário e o ajudará a desempenhar seu trabalho da melhor forma e com mais rapidez. 

Em grandes corporações, as redes interpessoais podem ser prejudicadas pela distância física entre os funcionários. A educação digital pode ser muito útil nesse ponto, ajudando os novatos a se encontrarem, estabelecer redes e estar em contato com os outros através de comunidades online.

Qualidade

À medida que o onboarding é visto cada vez mais como algo importante na empresa, é essencial que os departamentos de T&D mostrem o valor que podem oferecer ao melhorar a qualidade desses programas. Isso beneficiará os recém-chegados e a organização como um todo através de um maior engajamento e de índices de retenção superiores.

Agora que você já sabe o que é onboarding, quer aprender como desenvolver um programa bem-sucedido? Então, leia o nosso artigo sobre os 10 passos para que seu processo de onboarding seja um sucesso!

Saiba mais