Quando Agilidade Rima com Estabilidade

Agir

Quando Agilidade Rima com Estabilidade

Artigo
Quando Agilidade Rima com Estabilidade

agilityHeráclito disse: “Nada é permanente, exceto a mudança”. Se você esteve no mundo corporativo nos últimos dez, vinte anos, deve ter percebido uma coisa: a mudança está em todo lugar e tem as mais variadas formas. O formato da televisão, os cartões de crédito e as novas regulamentações nas taxas de créditos são alguns exemplos. As informações estão numa velocidade tão alta e as mudanças no mercado, tão rápidas, que decisões devem ser tomadas num piscar de olhos. No entanto, além dessas mudanças constantes, a preocupação com aspectos sociais e ambientais está crescendo. Na verdade, se tivéssemos que apontar a direção para qual o mercado está indo, seria o caminho da eficiência sustentável e da segurança social.

Portanto, privado e público, social e econômico, é preciso provocar a mudança se você quiser prosperar e sobreviver num mercado de concorrência acirrada. No entanto, se preparar sua organização para demandas globais é uma coisa, torná-la possível e fazer com que essa adaptabilidade seja sustentável é outra. Você pode perguntar: qual é o segredo? A resposta é simples: agilidade.

O Que É Agilidade?

Agilidade, como define Christopher Worley, é a capacidade de provocar mudanças, sustentáveis, eficientes e no tempo certo quando e onde oferecer vantagens para a organização. Para resumir, agilidade é a estrutura e o conhecimento necessários para se implantar mudanças quando for preciso. Em uma organização como a Unilever, por exemplo, a agilidade é a base da política corporativa. A companhia mudou sua organização, desde a cadeia de produção até a gestão de desempenho. Tornou-se mais preocupada com as questões do meio ambiente e não só se adaptou ao presente, mas também começou a imaginar o futuro. A Unilever sentiu essa mudança não só nos caixas, mas também nos resultados sociais e ambientais.

Você pode até dizer que se preocupar com questões ambientais não é ser uma empresa ágil. No entanto, se olharmos por outro lado, é visível que todas as organizações estão diante do tripé da sustentabilidade: pessoas, planeta, lucro. Se uma dessas pontas ficar de fora, é bem provável que seu negócio não sobreviva às mudanças do mercado. Para contornar essa situação, é preciso considerar a eficiência sustentável, que nada mais é que a capacidade de trazer a pesquisa de progresso social e ambiental para dentro da sua empresa. Se você entende o que é eficiência sustentável, vai perceber como ela anda de mãos dadas com a agilidade.

6 Dicas para Ser uma Organização Ágil

É fácil falar que a agilidade deve ser o pilar da estratégia de negócio, mas fica a pergunta: como fazer isso de maneira bem-sucedida? Considere essas seis dicas:

  1. Não queira ser o Google, seja você mesmo. Muitas vezes, as empresas tentam implementar uma mudança copiando outras, como o Google. A realidade é que proceder dessa maneira é uma perda de tempo e dinheiro. Por mais que entender o sucesso da gigante da internet seja crucial para acompanhar o mercado, o Google é uma organização muito diferente da sua. Tem história, valores e indústria próprios. A agilidade deve ser customizada para sua organização e para a maneira que ela funciona.
  2. Preste atenção na cultura da sua empresa. Como o autor da CrossKnowledge Faculty, Christopher Worley, disse: “A cultura come a estratégia no café da manhã”. Por quê? Se você olhar só para a estratégia, uma hora vai perceber que ignorou uma parte importantíssima da sua organização: as pessoas. Vejamos o caso da Starbucks. A política dessa organização sempre se voltou para a experiência. Ela não só queria alimentar a relação entre o atendente e o cliente, mas também entre o cliente e a marca. Para isso, a companhia criou a experiência Starbucks, que não ficava só no cafezinho, mas incluía música, acesso à internet, uma temperatura agradável e cadeiras confortáveis.
  3. Planeje seu futuro. Sem dúvida que o primeiro critério para ser ágil é pensar no futuro. Aqui, pensar no futuro é organizar reuniões que levem às pessoas a imaginar cenários em que problemas podem acontecer e qual seria a melhor resposta para eles. Você não vai preparar somente os diretores e executivos, mas vai apresentar planos estratégicos que perpassem por toda empresa. Assim, o tempo de resposta para um problema similar pode ser reduzido
  4. Forme um comitê estratégico. As decisões que sua empresa toma são um reflexo do comitê executivo. Se você quer que as principais decisões não estejam sempre voltadas para questões financeiras, mas também para medidas sociais e ambientais, você precisa de pessoas que concordem com essas ideias e que as compreendam perfeitamente. A Patagonia, uma empresa norte-americana, é um exemplo de organização ágil. Seu foco nos últimos anos foi a eficiência sustentável. No entanto, o que muitas pessoas não sabem é que seu comitê é um dos mais diversificados da indústria. Não só tem pessoas de finanças, mas também de ONGs, assistentes sociais e ambientalistas. Isso permite que as decisões tomadas pela Patagonia sempre tenham como base três pilares fundamentais: social, financeiro e ambiental.
  5. Aumente seus pontos de contato. “O que são pontos de contatos?”, você deve estar se perguntando. É a quantidade de contato que você tem com seu cliente. Para concentrar toda sua energia em fazer o melhor produto possível, muitas empresas diminuíram seus esforços de comunicação e marketing. Elas se excluíram do mundo externo. Em uma época de constante comunicação, isso é um grande erro. Na verdade, muitos recomendam o contrário: dê ouvidos aos seus clientes e ao mercado. Eles vão dizer o que você precisa mudar.
  6. Esqueça as descrições de cargo. Como você quer que sua organização seja flexível se as pessoas não são? Se você colocar uma pessoa num departamento em vez de uma posição especial, vai perceber que ela ficará mais motivada e eficiente. Ela assumirá diferentes projetos, terá mais iniciativas e, num sentido mais amplo, contribuirá com o futuro da empresa.

Não se engane: as organizações ágeis não são perfeitas – assim como nenhuma é. Contudo, elas demonstram uma capacidade incrível de aprender com seus erros e continuar seguindo, e isso as tornam mais eficientes. A mudança vai aparecer, é inevitável. Não tem como antecipar suas particularidades para se ter um melhor preparo. Portanto, a única coisa que você pode fazer é preparar sua empresa para os desafios de amanhã. E para isso, você vai precisar de agilidade.

Saiba mais

Fique por dentro

Receba as notícias do nosso blog direto no seu email!