Tecnologia como ferramenta de aprendizagem: 5 passos para o T&D

Dicas de T&D

Tecnologia como ferramenta de aprendizagem: 5 passos para o T&D

Artigo
Tecnologia como ferramenta de aprendizagem: 5 passos para o T&D

No primeiro artigo desta série, a consultora da CrossKnowledge de Tecnologia de Aprendizagem, Lieve Van den Bosch, explicou os fundamentos que precisam ser considerados ao projetar uma experiência de aprendizagem eficaz. Você começa identificando suas personas de aluno e as competências que eles precisam adquirir, depois os métodos de ensino a serem usados e, claro, o conteúdo que você irá criar ou fornecer. Neste artigo, é hora de abordar sobre a tecnologia como ferramenta de aprendizagem. Continue acompanhando a leitura!

5 passos para utilizar a tecnologia como ferramenta de aprendizagem em seu programa 

Antes de iniciar um programa, a primeira coisa que você precisa fazer é identificar o que sua tecnologia existente pode e não pode fazer. É fundamental que você entenda as limitações da sua rede e da sua plataforma ao implementar novos programas de aprendizagem. A maneira mais fácil de projetar isso, de acordo com Lieve, é dividindo em etapas. Veja abaixo quais são elas:

1º passo: Construa os elementos de design

Crie um plano para construir elementos e selecionar recursos com base na visão e nos objetivos do designer. Certifique-se de prestar atenção nas questões de integração com a tecnologia atual, principalmente quando for utilizar conteúdo de terceiros.

2º passo: Adicione atividades de reforço

Adicione em sua aprendizagem as atividades de reforço. Essas atividades podem incluir enquetes, questionários, compartilhamento social, exercícios de aplicação prática e trocas peer-to-peer. Essas atividades devem ser colocadas em uma progressão lógica ao longo do programa para manter os alunos ativos e engajados.

3º passo: Utilize indicadores e ferramentas de medição

Adicione indicadores de programa e parâmetros de medição. Para rastrear e monitorar o progresso do aluno, você irá precisar de ferramentas. Isso deve incluir sistemas de feedback e percepção do usuário, acompanhamento e treinamento do progresso, benchmarks e medições, e um método para configurar e utilizar os dados coletados. Você também deve criar uma ferramenta para fornecer a seleção de treinamentos individuais e para grupos.

4º passo: Elabore a identidade do projeto

Seja criativo! Projete logotipos, slogans e paletas de cores para dar ao seu programa uma identidade que seja reconhecível e acolhedora para os seus alunos. Depois que os alunos se familiarizarem com a sua “marca de aprendizagem”, eles se sentirão mais confortáveis em se envolver com ela. Deixe a marca da empresa ser seu guia e crie algo diferente, mas complementar.

Dica do especialista: não tenha medo de pedir conselhos à sua equipe de marketing!

5º passo: Divulgue o programa

O buy-in é vital para o sucesso do seu programa. Crie um plano de marketing do aluno para gerar entusiasmo e gerar fidelidade. Não importa o quão eficaz seja o seu programa se ninguém estiver usando ele. Por isso, divulgue as novidades! Você irá precisar de um plano que inclua vários tipos de comunicação: e-mails, notificações por SMS, redes sociais, newsletters e até mesmo uma seção especial na página inicial da plataforma. Adicione os toques de sua marca discutidos na etapa anterior para fazer a junção de tudo e alcançar bons resultados.

Dica do especialista: o plano de marketing deve ser elaborado para complementar os hábitos de comunicação estabelecidos específicos em sua organização.

A importância da união entre Design de Aprendizagem e Tecnologia de Aprendizagem

Design de aprendizagem e Tecnologia de Aprendizagem são as duas faces da mesma moeda e devem estar em harmonia para oferecer o máximo de impacto para alunos e empresas. Não há nada pior do que gastar muito tempo e energia no design de um programa, apenas para descobrir que ele não pode ser implementado devido a restrições ou incompatibilidade com a tecnologia existente na organização. 

Como sugere esta série, o T&D deve se sentir encorajado a entrar em contato com outras equipes dentro da organização (RH, Marketing, TI) para verificar se todas as soluções são possíveis de serem implementadas. Isso também garante que o T&D ofereça as melhores experiências de aprendizagem possíveis para seus colaboradores com base em parâmetros já identificados. 

Chegamos ao fim desta série, mas não se preocupe! Você pode assistir o nosso webinar “Construindo treinamentos digitais de alto impacto: de A a HILL”

Lieve Van den Bosch é consultora de tecnologia de aprendizagem na Crossknowledge. Seu papel é ajudar as organizações a implementar o software CKLS e começar a construir experiências de aprendizagem. Lieve adora criar experiências de aprendizagem impactantes que ajudem os alunos a adquirir novas competências para crescer tanto profissionalmente quanto como pessoa.

<

Saiba mais

Fique por dentro

Receba as notícias do nosso blog direto no seu email!