Transformação digital na pandemia: o futuro da educação corporativa

e-Book

Transformação digital na pandemia: o futuro da educação corporativa

Artigo
Transformação digital na pandemia: o futuro da educação corporativa

A educação corporativa sofreu muitos impactos durante a pandemia gerada pelo Covid-19. O ano de 2020 foi marcado por uma grande crise, que fez com que as empresas passassem por diversas mudanças. Para que os líderes de T&D pudessem dar continuidade aos seus projetos, novas soluções precisaram ser encontradas. Por isso, a transformação digital na pandemia foi fundamental para a adaptação a este novo cenário.

Essa realidade trouxe impactos não só para o presente da educação corporativa, mas também gera novas perspectivas para 2021. Para avaliar o T&D do ano de 2020 e entender o que está por vir neste novo ano, a CrossKnowledge realizou uma pesquisa em parceria com o WTC Business Club, entrevistando profissionais que possuem alguma relação com a área. Para descobrir um pouco desses resultados e o que eles significam para as empresas, é só continuar acompanhando a leitura!

Os impactos da transformação digital na pandemia

A pesquisa realizada contou com 178 profissionais de RH de diversos segmentos de empresa. Os mais representativos foram:

  • Bens de consumo;
  • Logística;
  • Saúde;
  • Construção;
  • Serviços financeiros.

Mais de 60% desses entrevistados responderam que a maioria dos treinamentos precisaram ser transformados em sessões virtuais durante a pandemia. As ferramentas tecnológicas foram o meio no qual as empresas puderam manter a educação corporativa e assim continuar colaborando com o desenvolvimento dos negócios.

Dentre os formatos mais utilizados em 2020 no T&D, podemos citar os microlearnings, lives e webinars. Já quanto aos temas mais abordados, podemos destacar saúde e segurança (68%) e saúde mental (66%), que demonstram a necessidade de desenvolvimento do bem-estar e das soft skills.

A importância das competências comportamentais tem ganhado força no mercado há alguns anos e a CrossKnowledge tem abordado sobre como esses aspectos são fundamentais para acompanhar as transformações do mercado e buscar o equilíbrio no ambiente de trabalho.

Por isso, essa questão ficou ainda mais evidente durante a pandemia. A incerteza que a crise proporcionou ao mercado corporativo fez com que o T&D buscasse os recursos necessários para disponibilizar um bom suporte e auxiliar os colaboradores a superarem os diversos desafios que surgiram em 2020.

Quais foram os principais desafios do T&D no ano de 2020?

Os dois principais desafios enfrentados durante a pandemia foram: engajamento e orçamento limitado. Talvez essas dificuldades não sejam novidades na maioria das empresas – afinal, sempre foram temas muito discutidos. No entanto, o isolamento social criou diversas barreiras que acabaram dificultando o trabalho dos líderes de T&D. Veja abaixo alguns:

  • Falta de estrutura para aplicar treinamentos e dar o suporte necessário;
  • Impossibilidade de reuniões presenciais, que antes promoviam interação social;
  • Falta do ambiente de trabalho físico;
  • Colaboradores sobrecarregados e expostos a diversos estímulos simultâneos, principalmente aqueles que possuem filhos em casa.

Com todo este cenário, os líderes precisaram colocar o aluno no centro do aprendizado. Isso sempre foi importante para oferecer uma boa experiência de aprendizagem. Porém, mais do que nunca, se tornou necessário entender o contexto de cada profissional. Os aprendizados foram:

  • Perguntar a cada aluno o que é importante para eles diante dos desafios e quais são as suas maiores dificuldades;
  • Procurar meios para que a informação chegue de forma ágil;
  • Investir em ferramentas que melhorem a comunicação e a interação.

Já em relação ao baixo orçamento de T&D, a dificuldade de 50% dos entrevistados ainda é o limite que possuem para investir no desenvolvimento dos colaboradores. As dicas são procurar os meios para atingir mais eficiência e alcance com o menor custo possível. O segredo está nas ferramentas digitais, que são capazes de padronizar e ter uma maior escalabilidade na entrega dos conteúdos.

A importância da educação digital para os próximos anos

Apesar da crise, o ano de 2020 mostrou e evidenciou mais ainda a importância do T&D e da educação digital nas empresas. As plataformas de aprendizagem nunca foram tão cruciais para manter o desenvolvimento das organizações. Afinal, foram elas que fizeram com que treinamentos importantes fossem entregues com sucesso, de forma eficiente e intuitiva. Aqueles que nunca fizeram esse investimento nos anos anteriores, precisaram dar esse passo durante a pandemia.

É importante lembrar que, apesar dos aprendizados de 2020, ainda estamos enfrentando diversas situações novas em 2021. Por isso, as empresas precisam estar preparadas para os novos cenários que podem surgir no mercado corporativo. Ter uma adaptação ágil aos avanços e transformações é fundamental para se manter relevante nos negócios e atender às novas necessidades e exigências. No que diz respeito ao cascateamento dessa necessidade para os colaboradores, a principal dica é manter um aprendizado ágil e contínuo.

Quais são as soft skills mais importantes para 2021?

Veja abaixo quais são as competências mais esperadas pelas empresas em 2021:

Grafico - Soft Skills - Transformação Digital na Pandemia

 

Tendências do T&D para 2021

Por fim, confira agora quatro tendências importantes do T&D para 2021:

1. Personalização

Quanto mais os líderes de T&D conseguirem personalizar e entender a necessidade de cada colaborador, mais será assertiva sua jornada de desenvolvimento. Por isso, optar pela personalização dos treinamentos pode trazer diversos resultados positivos na educação corporativa.

2. Flexibilidade

Colocar o aluno como protagonista e permitir que ele escolha os próximos passos do seu desenvolvimento também é uma estratégia eficiente do T&D. Além disso, oferecer diferentes opções, métodos e formatos é fundamental para que os colaboradores se adequem conforme a sua rotina e necessidades.

3. Blended learning

O blended learning (modelo híbrido) ganhou força em 2020 e ficará em evidência em 2021. Esse formato maximiza o aprendizado ao combinar práticas pedagógicas do ensino presencial e ensino à distância. Seu principal objetivo é aprimorar o desenvolvimento dos colaboradores e otimizar a aprendizagem.

4. Microlearning

Quando os entrevistados foram questionados sobre os formatos que pretendem utilizar em 2021, as pequenas pílulas de conhecimento entram com 68%. O microlearning é capaz de entregar os conteúdos de forma objetiva e tornar o conteúdo mais fácil de ser compreendido pelo aluno, o que traz benefícios na experiência de aprendizagem.

Com todas essas tendências, não há dúvidas que colocar o aluno no centro da aprendizagem continuará sendo o segredo para o sucesso dos treinamentos corporativos.

Gostou deste artigo? Se você deseja ver em detalhes os resultados dessa pesquisa e continuar descobrindo como se adaptar ao novo cenário do T&D para 2021, você pode baixar o nosso e-book exclusivo!

 

Saiba mais