Perfil do aluno: saiba quais são e veja como otimizar sua estratégia de T&D

Artigo

Perfil do aluno: saiba quais são e veja como otimizar sua estratégia de T&D

Artigo
Perfil do aluno: saiba quais são e veja como otimizar sua estratégia de T&D

Para otimizar a contribuição do treinamento e garantir que ele atue como um verdadeiro “trampolim”, é importante entender o perfil do aluno, suas necessidades e o que o motiva. Nossa pesquisa nos ajudou a identificar 4 dos perfis mais comuns nos 4 países incluídos no estudo. Confira!

Este artigo é o quarto componente do estudo qualitativo produzido para a CrossKnowledge entre uma amostra representativa de seus clientes em 4 mercados, com culturas e níveis de maturidade diferentes em relação às práticas de treinamento a distância.

Quais são os tipos de perfil do aluno?

Veja abaixo quais foram os perfis de alunos identificados:

Perfil do aluno 1: David, o funcionário modelo

Este é o perfil de aluno mais comum de ser encontrado. Ele representa mais de 50% da amostra:

“Aprender me ajuda a fazer bem meu trabalho, me manter atualizado e progredir em minha função”

Motivações

  • David está sempre pronto para aprender mais, mantendo-se alinhado com a visão da empresa. David aprende melhor dentro de ambientes bem estruturados e é capaz de estabelecer limites, obtendo um bom equilíbrio entre a vida profissional e privada;
  • Sua prioridade continua sendo fazer um bom trabalho e progredir gradativamente. E, para isso, o treinamento é uma ótima maneira de superar qualquer deficiência para que ele possa assumir novas funções;
  • Ele não é particularmente pró-ativo na escolha dos treinamentos, preferindo seguir os objetivos traçados pela empresa;
  • Ele é bastante pragmático e focado no médio prazo. Por isso, o ideal é que cada curso de treinamento permita que ele progrida.

Necessidades básicas

  • Ser apoiado e ter a certeza de que o treinamento será útil;
  • Ganhar credibilidade e provar o “seu valor” dentro da empresa;
  • Com relação ao treinamento: David aprecia ver resultados tangíveis por meio da aplicação prática imediata da habilidade aprendida e/ou ter um rastreamento claro do progresso (ou seja, certificação, aumento de salário, etc.).

Perfil do aluno 2: Nicholas, o perfeccionista ambicioso

“Eu luto para subir na hierarquia da empresa para levar minha carreira adiante e estabeleço metas para chegar lá.”

“Desenvolver novas habilidades significa melhorar a si mesmo, ficar no topo e seguir o caminho que você definiu”

Motivações

  • Nicholas está constantemente redefinindo seus objetivos e subindo rapidamente na hierarquia corporativa;
  • Ele gosta de desafiar sua experiência com seus colegas;
  • Ele tem expectativas mais específicas de treinamento: conteúdos de alto valor agregado.

Necessidades básicas

  • Estar atualizado, constantemente estimulado e pronto para superar novos desafios;
  • Superar as metas anteriores e ser cada vez mais eficaz;
  • Ser mais visível, ter conquistas reconhecidas dentro da empresa e subir na carreira.

Perfil de aluno 3: Romy, o explorador de possibilidades

“Aprender novas habilidades fornece os meios para se transformar e alcançar novas perspectivas”

Motivações

  • Curiosidade: tudo é fonte de enriquecimento, às vezes até fora do mundo da empresa;
  • Profundidade: os tipos “Romy” são exploradores que buscam detalhes, conhecimento técnico e outras informações nos assuntos que eles precisam saber;
  • Confiança na expertise: Romy se sente mais à vontade em funções que destacam seu campo de especialização do que em funções gerenciais;
  • Novos horizontes: o treinamento se torna um componente do seu desenvolvimento em um sentido amplo e pessoal.

Necessidades básicas

  • Se avaliar e se descobrir para instigar mudanças;
  • Estar aberto a novas ideias e aprender com a experiência dos outros (solução de problemas);
  • Crescer através da aprendizagem contínua em áreas mais gerais ou estratégicas.

Perfil do aluno 4: Joseph, o líder emocional

Este perfil representou apenas uma pequena parte da nossa amostra.

“Aprender novas habilidades me ajuda a ser um líder inspirador e a crescer à medida que ajudo outros a crescer”

Motivações

  • Altamente envolvido em seu trabalho e em sua função gerencial. Joseph tem a força de um visionário e é capaz de se adaptar com facilidade;
  • Aprender é um pilar para fixar sua experiência em aplicações e domínios até então desconhecidos;
  • O compartilhamento do conhecimento é um fator fundamental para ele. É uma forma de enriquecimento que pode beneficiar outras pessoas;
  • O treinamento não é visto apenas em termos pragmáticos e focados nos negócios, mas também em sua perspectiva humana.

Necessidades básicas

  • Descobrir novas áreas de atuação por meio de conteúdos de qualidade, que oferecem novas oportunidades para si e como inspiração para os outros;
  • Criar entusiasmo para aprender e treinar sua equipe por meio de uma especialização cada vez mais profunda.

Existem outros tipos de perfil de aluno?

Além dos perfis principais descritos acima, surgiram mais dois perfis de aluno. Confira abaixo quais são:

Paul, o Minimalista

Ele não é particularmente motivado por seu trabalho e é relativamente passivo. Ele se apoia em suas conquistas anteriores para sobreviver. Seu objetivo é se manter atualizado apenas o suficiente para fazer seu trabalho e possui pouco esforço para melhorar. Sua participação nos treinamentos é mínima, principalmente porque ele não quer se dedicar muito.

Luna, o Camaleão

Ela vê o treinamento como uma forma de se transformar ou até mesmo de se reinventar.

“Quero mudar a direção do meu trabalho, tentar algo novo e fazer algo completamente diferente.”

Embora aparentemente menos cativa, ela está aberta à transformação e é um vetor potencial de mudança – nela mesma e em sua empresa. Nestes tempos complexos de Pandemia, sua flexibilidade é um verdadeiro trunfo.

A importância de projetar os programas de treinamento de acordo com o perfil dos alunos

Não existe treinamento com um “tamanho único”. Essa é uma maneira muito antiquada de abordar o aprendizado, dado o que sabemos sobre a ciência do cérebro. Ao projetar seus programas de treinamento, pense em quem são seus alunos, o que os motiva e como eles aprendem. A aprendizagem personalizada tem mais impacto para o aluno e, em última análise, é mais benéfica para a organização como um todo.

Se você gostou, continue com o quinto artigo (e último!) da nossa série de pesquisa! Jornada da aprendizagem: o guia para a educação corporativa

Saiba mais

Fique por dentro

Receba as notícias do nosso blog direto no seu email!